10 dezembro 2010

Funesto

O copo
o álcool
o vício.
O ser ferido que não se encontrou.
A dança
a festa
a ilusão.
A vã alegria a que se entregou.
O pó
o cheiro
o êxtase.
Tudo por dentro incendiou.
Um momento
um instante
um lamento:
a subvida que se apagou!




Nathália Monte

3 comentários:

fabio o pit bull disse...

Gostei muito desse texto!!!! Muito bom, bom mesmo!

Eric Jones disse...

Nossaaaa...
Gostei muito desse!
Tá lindo, lindo, lindo!
Parabéns!

Yhanndra disse...

LINDO!
Nem tenho palavras,só está LINDO!