10 dezembro 2010

Funesto

O copo
o álcool
o vício.
O ser ferido que não se encontrou.
A dança
a festa
a ilusão.
A vã alegria a que se entregou.
O pó
o cheiro
o êxtase.
Tudo por dentro incendiou.
Um momento
um instante
um lamento:
a subvida que se apagou!




Nathália Monte

3 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito desse texto!!!! Muito bom, bom mesmo!

Eric Jones disse...

Nossaaaa...
Gostei muito desse!
Tá lindo, lindo, lindo!
Parabéns!

Yhanndra disse...

LINDO!
Nem tenho palavras,só está LINDO!