26 dezembro 2010

Poesia sangrenta

Poesia escrita a sangue.
O sangue que as lágrimas adornam.
O sangue que mancha o papel.
Papel manchado.
O sangue que ninguém vê.
As lágrimas que escorrem da minha face
Lívida,triste.
Ninguém vê meu rosto triste
Ninguém vê as lágrimas
misturadas com sangue,
lágrimas que escorrem desse rosto
pálido e sombrio.
Ninguém vê.


Yhanndra Karine

2 comentários:

fabio o pit bull disse...

O texto esta ótimo... Mas sei lá, esse estilo não combina com você Yandra. Seja mais alegri você é LINDA! Falou? Bjos.

Macaco Pipi disse...

SANGUE DO MEU SANGUE
VENENO QUE NOS MATA!