19 dezembro 2009

Com a delicadeza de uma rosa,
Como uma concha, tocaste-me;
Ou um vento impetuoso,
Arrancando-me um pouco de respiração.

Nesta descorada face,
Sem conseguir erguer os olhos,
De súbito uma felicidade,
Um olhar perdido e um último suspiro.

Como tais coisas pode tomar-me
E não conseguir eu explicar-lhes?

Yhanndra Karine

2 comentários:

Nathi disse...

Que poema lindo amiga!
Lindo mesmo.

Female Diary disse...

Yhandra gatiinha, que poema lindo! :O